Treino em meio aquático vs treino de impacto

Muitas pessoas questionam-se se "Posso fazer exercício tendo problemas articulares?" e "Que tipo de exercício é mais aconselhado para a minha condição?" A resposta depende do tipo de condição de cada indivíduo. Quer o treino em carga como o treino em meio aquático têm benefícios.

Por um lado, o treino com carga e impacto tem um efeito positivo no aumento da densidade óssea, no entanto, não é apropriado para indivíduos com patologias osteoarticulares. Apesar de que, estudos recentes afirmam que o exercício em carga, isto é, com a ação da gravidade, permite um maior aumento da massa óssea em pessoas idosas, desde que não tenham outras patologias osteoarticulares associadas. 1,2

Por sua vez, o meio aquático permite a realização de exercício com impacto muito mais reduzido. Este tipo de treino tem um risco reduzido de fratura por traumatismo, bem como uma diminuição do stress articular, devido à flutuabilidade que a água proporciona, permitindo a realização de exercício em pessoas com patologia osteoarticular. Para além disso, permite manter um adequado nível de massa muscular e melhorar o equilíbrio, prevenindo as quedas e, consequentemente, o risco de fraturas. 1,2




Como é possível concluir, tanto o treino de grande impacto como o treino em maio aquático têm benefícios para a população em geral, mas é importante adequar o tipo de treino à nossa condição para potenciar a nossa qualidade de vida. 

É essencial a consulta de um fisioterapeuta ou profissional da atividade física para um aconselhamento personalizado sobre qual o melhor tipo de exercício para cada um.

Não deixe de fazer exercício físico! Informe-se!


Cleide Martins
Fisioterapeuta Espaço Saúde



1. McMillan, L; Zengin, A.; Ebeling, P.; Scoot, D., Prescribing Physical Activity for the Prevention and Treatment of Osteoporosis in Older Adults, 2017;

2. Simas, V.; Hing, W.; Pope, R.; Climstein, M.; Effects of water-based exercise on bone health of middle-aged and older adults: a systematic review and meta-analysis, 2017

Comentários